BRASÃO DE ARMAS

De conformidade com o Artigo 13, § 2º da Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988, são símbolos do Município de Pratânia, instituídos pela Lei Municipal Nº 001, de 7 de janeiro de 1997:


I – O Brasão de Armas Municipal;
II – A Bandeira Municipal;
III – O Hino Municipal.

O BRASÃO DE ARMAS MUNICIPAL


BRASAO SITE

Conforme estabelece o artigo 9º, da Lei Municipal nº 001, de 7 de janeiro de 1997, o BRASÃO DE ARMAS do Município de Pratânia, de autoria do Heraldista e Vexilólogo, Dr. Lauro Ribeiro Escobar, assim se descreve: escudo ibérico, de prata, com uma cruz pátea de goles, ladeada de duas cabeças de águia, arrancada de goles e bicadas e coroadas de sable, a de destra voltada, tudo encimando duas faixetas ondadas de blau e chefe de veiros de duas tiras; o escudo é encimado de coroa mural de prata, de oito torres, suas portas abertas de sable, têm como suportes, a destra, uma haste de cana de açúcar, e à sinistra, um ramo de laranjeira, ambos folhados e produzindo, ao natural e listel de blau, com o topônimo “PRATÂNIA” de prata.
O Brasão tem seguinte interpretação (artigo 10 da Lei 001):


I – O escudo ibérico era usado em Portugal à época do descobrimento do Brasil e sua adoção evoca os primeiros colonizadores e desbravadores da nossa Pátria;


II – O metal prata do campo do escudo tem o significado heráldico de felicidade, pureza, temperança, formosura, verdade, franqueza, integridade e amizade, a indicar os atributos de administradores e munícipes e o clima de harmonia e compreensão de que desfrutam;é alusivo outrossim, ao primitivo topônimo do povoado, Vila da Prata, que deu lugar ao atual Pratânia;


III – A cruz pátea de goles(vermelho), é símbolo da profunda fé cristã do povo de Pratânia, referindo-se ao Santíssimo Padroeiro do Município, Bom Jesus, assim como à primeira Igreja de São Bom Jesus, o marco definitivo da fixação do homem no local;


IV – As cabeças de águia, de goles (vermelho), bicadas e coroadas de sable ( com bico e coroa de preto ), simbolizam poder, prosperidade, vitória, generosidade, liberalidade, arrojo para cometer grandes empresas, altos desígnios e gênio, assinalando o arrojo dos pioneiros do povoamento da região e a vitória alcançada, cujo coroamento, foi a elevação de Pratânia à condição de sede de Município;


V – A cor goles (vermelho), representa audácia, valor, galhardia, intrepidez, magnanimidade, honra e nobreza conspícua e a cor sable (preto), prudência, fortaleza, constância, simplicidade, sabedoria, ciência, gravidade, honestidade, firmeza, moderação, silêncio e segredo, a realçar as qualidades dos munícipes, no esforço diuturno e eficaz, objetivando a prosperidade, e consequentemente o progresso do Município;


VI – As faixetas ondadas de blau (azul), representam em heráldica os cursos de água, designando a riqueza hidrográfica de Pratânia, em especial os rios Jacu e Claro, em cujas barrancas formou-se a Vila Prata, topônimo advindo do nome pelo qual era conhecido o Rio Jacu, - Rio da Prata;


VII – O Chefe, peça honrosa de primeira grandeza colocada na parte superior do escudo e o veiros é pele heráldica, que passou a figurar na Ciência das Armarias, por ser usada por aqueles que se distinguiam pela alta nobreza, donde ser símbolo de proeminência de honras e dignidade notável, sendo ainda representativa, nas Armas de Pratânia, dos produtos de couro de alta qualidade daqui originários;


VIII – A coroa mural é o símbolo da emancipação política, e, de prata, com oito torres, das quais unicamente cinco são visíveis, vem a ser a reservada às cidades; as portas abertas de sable (preto), proclamam o caráter hospitaleiro do povo de Pratânia;


IX – A haste de cana de açúcar e o ramo de laranjeira, produzindo, atestam a fertilidade das terras generosas de Pratânia e apontam as lides do campo fator básico da economia municipal;


X – No listel de balu (azul), a topônimo “PRATÂNIA” identifica o município.

O Brasão de Armas Municipal, objetivando a divulgação municipalista, poderá poderá ser reproduzido em papel, decalcomanias, placas de fachada, flâmulas, distintivos, medalhas, selos, adesivos, bem como aposto a objetos de arte ou de uso pessoal, em campanhas cívicas, assistenciais, culturais, ou de divulgação turística, desde que atendidos os requesitos da Lei Municipal Nº 001/97, quando feitas por conta de terceiros.
É, também, vedada a colocação de quaisquer figuras ou dizeres sobre o Brasão de Armas ou a Bandeira Municipal, bem como utilizar suas reproduções para servirem de propaganda política ou comercial.

ARQUIVO PARA DOWNLOAD